Centroface

Telefone: +55 (81) 3423-0840 |    (81) 98310-7838   

Janeiro Branco: ação ajuda no planejamento de vida durante o ano

 

 

 

 

 

Campanha alerta para a importância do bem-estar emocional

 

Quem nunca fez várias promessas quando o mês de janeiro chegou? Mas conseguir cumpri-las é outra história. De acordo com um estudo feito pela Universidade de Scranton, nos EUA, apenas 8% das pessoas conseguem completar as resoluções de Ano-Novo. Além disso, os pesquisadores afirmam que, até o fim de janeiro, cerca de um terço das novas metas – que muitas vezes incluem mudanças no estilo de vida e mais cuidados com a saúde – já terá sido descartada.

 

A fim de ajudar as pessoas a mudar esse quadro, o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão criou a campanha Janeiro Branco, na cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em 2013. “O objetivo é expandir a necessidade de ver que a saúde mental e emocional está diretamente ligada ao bem-estar, ao trabalho e à convivência social”, explica. Para isso, a iniciativa convida as pessoas a refletir sobre as próprias vidas. “Elas são levadas a considerar metas e planejamento no início de cada ano”, diz Abrahão.

 

De acordo com o psicólogo, o mês foi escolhido por ser um período de renovação. Já o branco foi adotado por ser a união de todas as cores, remetendo à ideia de que o indivíduo, para ter saúde mental, precisa estar em harmonia com todas as áreas de sua vida.

 

O trabalho acontece por meio de profissionais voluntários – como psicólogos, assistentes sociais, médicos e enfermeiros –, que abordam as pessoas nos locais mais diversos: ruas, escolas, empresas e até mesmo corredores de hospitais. As ações incluem palestras, formações e debates.

 

Em Belo Horizonte, a campanha está na quinta edição e conta, atualmente, com 43 psicólogos voluntários.

 

Segundo a psicóloga Cleide Oliveira, voluntária desde 2016, a campanha causou mudanças profundas. “Como psicóloga, posso ajudar pessoas de diferentes realidades de uma forma que elas talvez não tenham acesso normalmente. Como humana, cresço todos os dias diante dessas realidades”, afirma.

 

Os resultados são tão positivos que o Janeiro Branco está presente em todos os Estados do país, além do Japão, de Portugal e dos Estados Unidos. A quantidade de voluntários também surpreende: há cerca de 80 mil atuando diretamente.

 

 

Campanha fala sobre transtorno emocional

Outra intenção da campanha Janeiro Branco é colocar os temas da saúde mental em máxima evidência, para evitar o adoecimento emocional. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com maior prevalência de depressão da América Latina e o segundo com maior prevalência nas Américas, ficando atrás somente dos Estados Unidos, que têm 5,9% de depressivos.

 

Por aqui, a depressão atinge 5,8% da população (11.548.577), enquanto os distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3% (18.657.943) das pessoas.

 

De acordo com a psicóloga Cleide Oliveira, a visibilidade leva as pessoas ao tratamento psicológico. “Queremos que elas tenham uma qualidade de vida e emocional melhor”, diz a voluntária.

Flash

 

Proposta. “A campanha surgiu para garantir a luta contra o adoecimento emocional da sociedade. Somos feitos, acima de tudo de sentimentos e comportamentos que influenciam as nossas vidas”, diz Leonardo Abrahão

 

Fonte: O Tempo