Centroface

Telefone: +55 (81) 3423-0840 |    (81) 98310-7838   

A cirurgia ortognática é um tratamento indicado para pessoas que têm deformidades envolvendo os ossos da face e os dentes, visando restabelecer o equilíbrio anatômico da face. Quando não for possível resolver o caso somente com o aparelho ortodôntico, uma vez que o problema está no tamanho dos ossos do esqueleto e não somente na posição dos dentes, faz-se necessário uma correção óssea.

 

 

As deformidades dos ossos da face podem se originar de distúrbios de crescimento, síndromes e anomalias específicas, traumas na face, ou serem de origem genética, dentre outros fatores. Essas alterações podem estar localizadas num osso, como no prognatismo mandibular (mandíbula grande) ou no retrognatismo mandibular (mandíbula pequena), sendo que muitas vezes é um problema combinado, associando o maxilar superior à mandíbula. Por exemplo, quando a mandíbula for grande e o maxilar superior for pequeno, será necessário operar os dois ossos, com o posicionamento cirúrgico da mandíbula para trás e do maxilar superior para a frente.

 

O paciente deverá realizar uma documentação ortodôntica completa, em clínica especializada em radiologia odontológica, para que os profissionais ( Cirurgião Buco Maxilo Facial e Ortodontista ) analisem as correções necessárias através de um tratamento ortodôntico-cirúrgico-ortodôntico. Isto é, inicia-se com a ortodontia preparando os dentes por período que varia de seis meses a um ano (primeira etapa), a partir daí planeja-se a cirurgia ortognática, fazendo uma moldagem de estudo e confeccionando modelos de gesso e montagem em articulador; opera-se o paciente e, logo que se recupere, a ortodontia realizará os últimos ajustes na oclusão.

Geralmente, o receio do paciente em relação à cirurgia deriva do desconhecimento e de algumas informações erradas difundidas entre as pessoas. Por isso, gostaríamos de ajudar nessa etapa tão importante.

 

Quando é indicada?

Para pacientes que já passaram da fase de crescimento ósseo. A indicação depende de um estudo aprofundado de exames do paciente. Sendo a alteração craniofacial muito acentuada, a ortodontia corretiva por si só não é capaz de produzir resultados satisfatórios e esperados pelo paciente. Neste caso a cirurgia ortognática entra em cena para complementar o tratamento ortodôntico.

 

Como é feita?

O planejamento da cirurgia é feito por uma equipe multidisciplinar, composta por cirurgiões bucomaxilofaciais, ortodontistas, fisioterapeutas, nutricionistas e, em alguns casos, fonoaudiólogos.

É feita sob anestesia geral e em ambiente hospitalar e, dependendo do planejamento cirúrgico, pode durar, em média, cinco horas. A cirurgia consiste em cortes no osso feitos por dentro da boca, e que, portanto, não deixam cicatriz externa na face. O osso é fixado com placas e parafusos de titânio e não necessitam de remoção posterior.

Com o uso de técnicas cirúrgicas modernas, o paciente não fica com a boca amarrada no pós-operatório, utilizando apenas, se necessário, elásticos para guiar a nova mordida para a posição correta.

 

Quais os tipos de Cirurgia?

A cirurgia pode ser realizada em um maxilar isolado ou nos dois (mandíbula e maxila), dependendo de cada caso. Pode ainda incluir a movimentação do mento (queixo) isoladamente ou em conjunto com a mandíbula.

 

Cuidados pós-operatórios

É necessário evitar esforço físico por um período aproximado de 30 dias. A dieta deverá ser líquida e pastosa no início, retornando progressivamente à dieta normal quando autorizado pela equipe cirúrgica. Uma alimentação equilibrada nutricionalmente é fundamental após a cirurgia, pois acelera o processo de cicatrização e restabelece o bem-estar, o que reflete diretamente na rapidez da recuperação do paciente.

 

Antes da sua cirurgia, sua equipe cirúrgica de escolha te entregará um protocolo de cuidados a se seguir, com todas as informações necessárias para um período pós-operatório mais tranquilo e sem preocupações.

BOLETIM ELETRÔNICO

Assine nosso boletim e receba as nossas dicas e novidades.

FACEBOOK